O PROGRAMA

SOY FAST TRACK FUND

A soja é um dos produtos agrícolas mais comercializados no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a safra 2015/2016 totalizou 313,26 milhões de toneladas produzidas globalmente. Trata-se também do principal produto agrícola do Brasil e representa cerca de 46% de toda produção agrícola nacional. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o País somou 95,6 milhões de toneladas na safra 2015/2016 e totalizou 31,17 milhões de hectares de área cultivada. Em 2006, associações de agricultores, tradings, indústrias e outros atores-chave de países produtores de soja juntamente com organizações não governamentais, como Solidaridad e WWF, iniciaram um fórum para formular critérios mundiais para o cultivo sustentável de soja. 

Este fórum é chamado de Mesa Redonda da Soja Responsável (RTRS, em inglês).  Os padrões RTRS, ou outras normas com critérios comparáveis, têm o objetivo de ajudar os agricultores a cultivarem soja de uma maneira responsável, com o menor impacto ambiental possível e considerando o aspecto social regional. O programa Soy Fast Track Fund (SFTF) surgiu com o objetivo de colocar em prática esses padrões. Inicialmente, buscou estimular a adoção da certificação RTRS e compor uma série de metodologias capazes de impulsionar a adoção de técnicas de manejo sustentável na soja. Em uma segunda fase, a certificação RTRS deixou de ser o foco principal e buscou-se adequar as fazendas tendo como norte os critérios do padrão RTRS, mas sem a exigência da certificação propriamente dita.

© 2016 Solidaridad Network